sexta-feira, 26 de junho de 2020

‘VErso e REverso da obra de arte’ | Custódia do Sacramento | 14 de Junho de 2020

Na rúbrica #versoREverso da obra de arte, apresentamos a Custódia do Sacramento (MNMC6584), da coleção de Ourivesaria do MNMC. Uma peça do século XVIII, de grande efeito cenográfico devido ao contraste entre a madeira policroma do anjo, o resplendor de prata e o brilho das pedras do hostiário, que inspirou Isabel Pires no poema 'O Triunfo do Barroco', declamado por Paula Sobral.
'O Triunfo do Barroco'

O meu olhar é bravo e diagonal, mede
o abismo que se exala deste monstro.
Nem sequer entendo o que me afasta
desta prata triunfante em catarata barroca,
globo brutal com seu caleidoscópio de pedrinhas.
Tudo me perturba: sou estrangeira
numa terra estranha onde tropeço. Nem sei
entender esta beleza. A desmesura
é completa, dirige-se a um deus que não conheço.
E arregalo os olhos, para que caiba também
o anjo atlante. Vejo as multidões a meio da tarde,
no rio pardo e obediente de cada profissão
que ele domina. O anjo hercúleo
vai suportando a orbe, como um Atlas cortesão
e bem vestido. Saberia dirigir-se a um rei,
e eu não sei. Com que convicção ele ergue os braços!
Tudo anuncia a glória, a declamação, a absoluta
certeza, o toque do clarim. Tempo de velhos
escravos, de brasis, de áfricas pretas,
de gigas e minuetes, de fabricada harmonia
dos servos e dos senhores. O anjo do Sacramento
resguarda a ordem do mundo nos seus braços retesados
e expulsa-me para a terra de onde vim:
estou a vinte metros, de olhos escancarados,
a habitar um tempo sem certezas.

Isabel Pires

Boa visita!

Sem comentários:

Publicar um comentário